Faça o seu Login ou Registo aqui!

Após isso toda a publicidade será excluída automaticamente.
LINK US
Fórum grátis

VISITAS
Últimos assuntos
» Novos contos de fantasia _ A Junior
Sab Fev 25, 2012 8:10 am por afonsojrf

» [Afonso Jr. Ferreira de Lima] O Livro
Qua Fev 01, 2012 10:38 am por afonsojrf

» [Mercurius - Parte 2] Afonso Jr Ferreira de Lima
Qua Jan 04, 2012 4:03 pm por afonsojrf

» Hugo Rodrigues
Dom Set 04, 2011 11:49 pm por Hugo Rodrigues

» As Crónicas de Allaryia - Filipe Faria
Dom Set 04, 2011 11:34 pm por Hugo Rodrigues

» [Mercurius- Primeira Parte] Afonso Jr. Lima
Qua Jul 20, 2011 8:16 pm por C.Soares

» 4º Livro Ciclo Herança + Entrevistas Mensais de Christopher Paolini
Qua Jul 20, 2011 8:15 pm por C.Soares

» "Vampiros e outros assassinos" - Afonso Lima
Qui Jul 07, 2011 4:29 pm por afonsojrf

» SM ;)
Sab Jun 25, 2011 2:43 pm por C.Soares

Navegação
 Portal
 Forum
 Membros
 Perfil
 FAQ
 Buscar
Galeria



Pedro Ventura

Ir em baixo

Pedro Ventura

Mensagem por Roberto Mendes em Seg Ago 31, 2009 11:51 pm

Pedro Miguel Rodrigues Gomes Ventura ( Montijo, 14 de Agosto de 1974 ) é um escritor português de romances/crónicas épicas.
Em 1989, acompanhando a família, passa a residir nas Termas de São Pedro do Sul, onde conclui os estudos secundários. Em 1996 vai viver para Viseu, cidade que escolha para fixar a sua residência. É aí que tira a licenciatura em Estudos Portugueses e Ingleses, na Universidade Católica Portuguesa. Casou-se em 2004 e tem um filho.
Conta com influências bastante diversificadas que vão de Homero a Rod Serling, passando por Tolkien, Camus, Júlio Verne, Teófilo Braga, C.S. Forester, George Orwell, Bernardo Santareno, Ray Bradbury, Isaac Asimov, Aldous Huxley, Paul Brickhill, Enid Blyton, etc…
“Goor - A Crónica de Feaglar sempre existiu no meu imaginário, apesar de apenas ter ganho forma escrita em 1996, por entre as aulas da Faculdade de Letras e muitas noites perdidas, sempre ajudado pelas sonoridades apropriadas – Enigma, Deep Forest, Enya, Within Temptation e muitos outros, dependendo das situações que ia escrevendo - não escrevo sem música, não viveria sem ela. Foi nessa altura que a estória de Goor se diferenciou de muitas outras, saindo do limbo mental em que se encontrava. Mas não foi fácil… Nunca poderá ser fácil transpor para o papel algo cujo suporte é meramente mental e decorre a um ritmo próprio, que nunca se compadece com as circunstâncias ou com o tempo real.”

Publicou agora na Dagon o conto "Darwar de Celénia"

Roberto Mendes
Redactor

Mensagens : 23
Pontos : 3454
Reputação : 0
Data de inscrição : 31/08/2009

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum