Faça o seu Login ou Registo aqui!

Após isso toda a publicidade será excluída automaticamente.
LINK US
Fórum grátis

VISITAS
Últimos assuntos
» Novos contos de fantasia _ A Junior
Sab Fev 25, 2012 8:10 am por afonsojrf

» [Afonso Jr. Ferreira de Lima] O Livro
Qua Fev 01, 2012 10:38 am por afonsojrf

» [Mercurius - Parte 2] Afonso Jr Ferreira de Lima
Qua Jan 04, 2012 4:03 pm por afonsojrf

» Hugo Rodrigues
Dom Set 04, 2011 11:49 pm por Hugo Rodrigues

» As Crónicas de Allaryia - Filipe Faria
Dom Set 04, 2011 11:34 pm por Hugo Rodrigues

» [Mercurius- Primeira Parte] Afonso Jr. Lima
Qua Jul 20, 2011 8:16 pm por C.Soares

» 4º Livro Ciclo Herança + Entrevistas Mensais de Christopher Paolini
Qua Jul 20, 2011 8:15 pm por C.Soares

» "Vampiros e outros assassinos" - Afonso Lima
Qui Jul 07, 2011 4:29 pm por afonsojrf

» SM ;)
Sab Jun 25, 2011 2:43 pm por C.Soares

Navegação
 Portal
 Forum
 Membros
 Perfil
 FAQ
 Buscar
Galeria



Goor II - Crítica publicada no "IDEIAS FIXAS" como carta aberta ao autor

Ir em baixo

Goor II - Crítica publicada no "IDEIAS FIXAS" como carta aberta ao autor

Mensagem por Roberto Mendes em Ter Set 01, 2009 9:21 pm

Critica a Goor 2 de Roberto Mendes


Crítica ao mundo de Goor:

É difícil fazer uma crítica a uma obra tão sublime, mas vou tentar não deixa no esquecimento nenhuma das partes que mais me impressionaram e as poucas, muito poucas, partes de que não gostei muito.
Desde logo considero goor 2 uma obra impregnada de originalidade pois colocas o destino da historia nas mãos dos homens e tornas a essência humana na “personagem” fulcral da mesma. Não recorres a nenhuma colagem a outros universos e isso é de louvar pois propuseste-te a criar um universo de raiz e, na minha opinião, acabaste por construir algo que se assemelha em grandeza a outras grandes obras como a terra média de Tolkien ou a Faerie da mitologia celta. Mas as marcas de originalidade não se esgotam com o facto de serem os homens a decidir o destino do mundo, também o facto de o artefacto sobre o qual a história se desenvolve e evolui não ser o principio e o fim da própria história me deixou muito satisfeito e surpreso; O universo de goor revela-se um mundo colossal e credível, com descrições perfeitas, soberbas, que nos fazem sonhar com cidades imponentes e com noites passadas num balcão do palácio levando banhos de estrelas. As cidades são definidas ao pormenor, com uma perícia de arquitecto, pois tenho a certeza que apenas pelas tuas descrições se podiam desenhar as várias cidades. A parte descritiva que mais me impressionou acabou por ser a descoberta de Fir Hur Abat, pela aura de magia e misticismo que se impregnava na cidade e pela gigantesca escala a que a cidade nos é descrita; A magia sente-se nas linhas em que descreves tão bela e lendária cidade!!! Tal como em Goor 1 a parte do romance é explorada com mestria, com os sentimentos a surgirem tão puros que quase os sentimos tocar-nos quando lemos as palavras. A tua “veia” de romancista tem tremenda qualidade e isso nota-se À medida que os sentimentos afloram nos corações das personagens levando a que exista uma dança de sentimentos puros entre os mais improváveis personagens juntando homens e mulheres de personalidades tanto fortes como distintas. Adoro o facto de ter acesso ao lado lunar de todos os personagens, incluindo Feaglar, pois normalmente o autor apenas explora o melhor lado de algumas personagens e o pior de outra, raramente são explorados os dois lados numa mesma personagem, penso que mais que tudo é isto que te define enquanto mestre da escrita. Apesar de preferir uma magia mais presente no enredo e nos destinos das histórias penso que o facto de a magia aparece tratada de forma sublime por ser simples e por não fazer parte do principal da acção (o que muda os destinos não são grandes feitiços, é o carácter de cada personagem) constitui uma lufada de ar fresco na literatura fantástica moderna. As jornadas em busca do draidex e as viagens de regresso com todas as circunstâncias e enredos secundários que assumem um papel tão preponderante na linha principal da história são maravilhosas, cheias de perigos, de batalhas intensas em que usas cenas fortes e cinematográficas de uma forma genial. A cada batalha que se aproxima é como se deixasse de ler e passa-se a ver as imagens que decidem o futuro dos Dhorians;
Penso que conseguiste criar um verdadeiro mundo onde apenas sinto falta de uma fauna e flora mais presente mas em que a morfologia, mitos, lendas, costumes e tradições se encontram definidas de forma perfeita, sem falhas! Admiro a forma simples com que contas a história, não és um escritor de artifícios como por vezes eu próprio faço, és, sem sombra de dúvidas, um cronista brilhante; Penso que enquanto escritor é esse o estilo que melhor te define: a crónica;
Juntamente com a cidade de fir hur abat o que mais me impressionou foram as personagens fenomenais como sarraden, galana, gar dena, a perfeita caledra, o próprio feaglar, odraglar, etc…. são personagens com personalidades completamente distintas, delineadas com precisão, alguns são homens como todos nós, outros são tudo aquilo que gostaríamos de ser; Podia descorrer sobre estas personagens durante vários dias a fio pois tornaram-se verdadeiramente nos meus companheiros de armas ao longo da trama, sorri e sofri com todos eles! Como personagens principais amei a personagem Caledra mas sempre desejei secretamente que fosse Galana a ocupar um lugar de destaque no futuro da historia e fiquei muito satisfeito quando por fim tal aconteceu. O facto de teres trocado o pólo forte dos homens para as mulheres é mais um toque da genialidade com que desenvolveste goor;
Depois de ler a tua obra percebo que o goor és tu, que vem de ti, das tuas interpretações sobre a vida e é por isso que esta história ganha uma dimensão diferente. Para mim goor 2 foi o melhor livro de literatura fantástica que li nos últimos três anos, logo a par de “jonhatan strange e o sr norrel” de susanna clark.
Em termos de literatura fantástica na sua vertente épica a tua obra surge nas minhas preferências logo após a obra de Tolkien. Considero Goor melhor que o mundo de Robert Jordan ou Marion Zimmer Bradley; E de entre os autores portugueses considero que te encontras num nível superior a todos os outros : para mim é fácil fazer a comparação pois já li quase tudo o que existe em português no âmbito da literatura fantástica;
Devo dizer-te que aprendi muito ao ler Goor; Tornaste-te numa referência para mim e numa inspiração também, pois sonho um dia atingir o nível de mestria que tu tanto dominas. É um prazer e um imenso orgulho poder corresponder-me contigo e trabalhar a teu lado no correio do fantástico, por isso te deixo um obrigado sincero e me despeço com votos de amizade; Tornaste-me num verdadeiro Dhorian!!!
Espero que gostes da critica.

Roberto Mendes (autor de fantasia)

Roberto Mendes
Redactor

Mensagens : 23
Pontos : 3454
Reputação : 0
Data de inscrição : 31/08/2009

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Goor II - Crítica publicada no "IDEIAS FIXAS" como carta aberta ao autor

Mensagem por pco69 em Ter Set 08, 2009 8:26 pm

Fui idiota em não ter adquirido o primeiro na altura em que saiu. Depois, quando apareceu o segundo, como não tinha o primeiro (e não estava à venda nessa altura), também não o adquiri.

Infelizmente para o Pedro Ventura, como não gostei do primeiro do F Faria, este pagou as favas....

pco69

Mensagens : 28
Pontos : 3495
Reputação : 0
Data de inscrição : 30/06/2009

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Goor II - Crítica publicada no "IDEIAS FIXAS" como carta aberta ao autor

Mensagem por Roberto Mendes em Ter Set 08, 2009 8:28 pm

Pedro Ventura e Filipe Faria têm formas literárias muito distintas. Pelo que li até hoje de literatura de fantasia épica portuguesa o Pedro é um mestre:) Podes até pedir-lhe a ele para te enviar os livros à cobrança: vai ao blogue ideias-fixas.sapo.pt

Roberto Mendes
Redactor

Mensagens : 23
Pontos : 3454
Reputação : 0
Data de inscrição : 31/08/2009

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Goor II - Crítica publicada no "IDEIAS FIXAS" como carta aberta ao autor

Mensagem por Pereira em Ter Set 08, 2009 8:39 pm

eu ja procurei esta coleçao (são dois se nao me engano) online mas apenas encontro o 2º para venda. onde posso encontrar o primeiro?
avatar
Pereira

Mensagens : 187
Pontos : 3662
Reputação : 2
Data de inscrição : 04/07/2009
Idade : 26
Localização : Bragança

Ver perfil do usuário http://hi5.com/friend/profile/displaySameProfile.do?userid=33965

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Goor II - Crítica publicada no "IDEIAS FIXAS" como carta aberta ao autor

Mensagem por pco69 em Ter Set 08, 2009 9:01 pm

Enviei agora mesmo um email ao autor.
Era bom que ele tivesse algum exemplar para venda.
Sei que ele se chateou com a editora, por isso não sei em que estado poderá estar a possivel aquisição do primeiro volume...

pco69

Mensagens : 28
Pontos : 3495
Reputação : 0
Data de inscrição : 30/06/2009

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Goor II - Crítica publicada no "IDEIAS FIXAS" como carta aberta ao autor

Mensagem por Pereira em Ter Set 08, 2009 9:02 pm

sim seria muito bom porque eu gostaria de ler a coleção. so dizem coisas boas dela Smile
avatar
Pereira

Mensagens : 187
Pontos : 3662
Reputação : 2
Data de inscrição : 04/07/2009
Idade : 26
Localização : Bragança

Ver perfil do usuário http://hi5.com/friend/profile/displaySameProfile.do?userid=33965

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Goor II - Crítica publicada no "IDEIAS FIXAS" como carta aberta ao autor

Mensagem por Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum